Linhas de Ação

Comentários desligados

projeto Alecrim 2010

Comentários desligados

Educação Ambiental

O homem vem aprendendo a se relacionar com o Meio Ambiente desde os primórdios de sua existência. Conhecer a natureza e saber utilizar seus recursos sempre foi uma questão de sobrevivência.

Um indivíduo que interage com o mundo ao seu redor e utiliza dos recursos naturais de forma consciente, ensinando seus filhos a fazerem o mesmo, já está realizando educação ambiental.

O desenvolvimento sustentável busca satisfazer as necessidades das gerações atuais, sem comprometer o futuro das próximas gerações. São necessárias para isso mudanças profundas na maneira como o homem vem lidando com as questões ambientais e realizando seu progresso material.

A Educação Ambiental estimula a geração de atitudes e comportamentos que resgatam essa identidade com a natureza, contribuindo para a formação de valores bioéticos que priorizem a preservação ecológica.

Desde sua formação, o grupo entende que para cumprir seu objetivo maior, que é o de desenvolver ações pela conservação do meio ambiente, é necessário um trabalho de base junto à sociedade, por ser esta a principal responsável pelos problemas ambientais em nosso planeta. Oferecer informações através da sensibilização do público infanto-juvenil e ajudar a formarem seus valores, através de práticas em Educação Ambiental tem sido um dos mais importantes focos de atuação do Grupo Ambientalista de Lençóis.

Comentários desligados

Mãos a obra! Bioconstrução do Galpão da Reciclagem

No mês de agosto, com a colaboração de voluntários e parceiros, deu inicio a reestruturação do galpão da reciclagem, diante da necessidade de uma estrutura mais apropriada para o pré beneficiamento de recicláveis e instalação da prensa hidráulica.

O GAL vem atuando na sensibilização social propondo a separação de resíduos e criou o PEV (Posto de Entrega Voluntária ), local para onde empresas, estabelecimentos comerciais e pessoas parceiras direcionam materiais recicláveis, contribuindo com a proposta de gestão sustentável dos resíduos sólidos uma vez que estes são destinados a processos de reutilização, reaproveitamento e reciclagem .

O Projeto prevê a prática da Bioconstrução*, e foi elaborado prevendo o reaproveitamento de resíduos, coleta de águas pluvias, uso de fontes de eneregia  renováveis e não-poluentes, aproveitamento máximo da iluminação natural.

A previsão do termino da Bioconstrução e para o mês de novembro onde faremos a inauguração do novo galpão estamos ansiosos para ver como ficou e finalmente ver a prensa funcionar , incentivando os moradores a tomar mais cuidado com o seu lixo possibilitando assim uma vida mais saudável e sustentável .

Interessados em participar e colaborar com esta ação, podem entrar em contato pelo e-mail_

Com a colaboração de todos podemos construir um mundo melhor

*Bioconstrução é o termo utilizado para se referir a construções onde a preocupação ecológica está presente desde sua concepção até sua ocupação. Já na concepção, as bioconstruções valem-se de materiais que não agridam o ambiente de entorno, pelo contrário: se possível, reciclam materiais locais, aproveitando resíduos e minimizando o uso de matéria prima do ambiente. Todo projeto foca o máximo aproveitamento dos recursos disponíveis com o mínimo de impacto.

Vinício Lombarde, 23 anos Argentino  da cidade de Cordoba estudante da universidade pública UNC,mochileiro e está no Brasil á um ano e três meses

“É uma experiência maravilhosa, poder realizar um projeto e concretizá-lo, como estudante de arquitetura realizar um Bioconstrução do começo ao fim com o sistema alternativo é uma grande experiência uma grande aprendizagem e trabalhar com pessoas do GAL é de grande satisfação e principalmente poder dar um destino materiais recicláveis e contribuir com o planeta .

Marcos Righetti Junior , 25 anos Paulista de Bauru interior de São Paulo , estudante e Mochileiro

Alguns anos atrás sentia uma tremenda necessidade em conhecer a Chapada Diamantina , não sabia o motivo mais meus pensamentos sempre voltavam a essa idéia.

Com cinco meses aqui residindo em Lençóis tive um entendimento claro desse fato, fui invocado a realizar uma missão que é concretizar essa estrutura através  da Bioconstrução . Esta sendo engrandecedor essa experiência singular que ira beneficiar a cidade e ajudar a florecer a sensibilidade ecológica dos irmãos Lençoenses”.

Comments (3) »

À nossa equipe, amigos e parceiros!

Querida equipe, parceiros e amigos!

Encerramos o ano de 2010 com muita alegria por conseguirmos concretizar nossos planos e projetos e compartilhar vivências, aprendizagens, dificuldades, conquistas e realizações com a comunidade de Lençóis.

Agradecemos a todos vocês que estiveram junto conosco durante este ano participando e apoiando de alguma maneira as ações para o desenvolvimento de uma melhor qualidade de vida em nossa cidade, em nosso planeta!

Muito gratos!

A participação de todos é imprescindível para que possamos, a cada dia, realizarmos nossa missão com alegria!

Convidamos vocês a lerem nossas notícias, onde compartilhamos as vivências de 2010!

Desejamos a todos um Feliz Natal, um ano novo cheio de paz, saúde, fé e muita consciência, gratidão e amor à Mãe Terra.

Grupo Amientalista de Lençóis

Comentários desligados

O Lixo Nosso de Cada Dia na comunidade de Lençóis!

Em julho de 2008 a comunidade de Lençóis recebeu um grande presente! A aprovação pelo IMA – Instituto do Meio Ambiente  – do Projeto Piloto Gestão de Resíduos Sólidos, elaborado pelo GAL em parceria com a comissão de resíduos sólidos de Lençóis.

O projeto tem como maior objetivo diminuir a quantidade de resíduos sólidos destinados ao lixão da Capitinga, através da redução da produção e direcionamento dos mesmos para processos de reutilização, reaproveitamento, reciclagem e compostagem, contribuindo assim com a melhoria da qualidade ambiental do município de Lençóis.

Ao longo de sua execução estão sendo realizadas diversas ações de envolvimento, mobilização e sensibilização social junto à comunidade, que tem participado ativamente do processo. Acompanhe nossas atividades e conheça melhor o projeto e como você também pode atuar ao seu redor para melhorar a qualidade de vida de todo o planeta. Começamos pelas pequenas ações…

 As ações do projeto foram planejadas dentro de dois programas:

– Programa Educação Ambiental – Campanha “O lixo nosso de cada dia”, envolvendo diversos segmentos da sociedade (comércio, serviços, escolas, agentes públicos e comunidade em geral, na feira livre e nos bairros da cidade) através de eventos, encontros, treinamentos e oficinas tendo como temas geradores os cuidados com o lixo, a redução do consumo/produção e a destinação seletiva.

    

“O projeto está de parabéns, pois está contribuindo bastante para a redução do lixo e conscientização da população. Espero que continuem com a campanha, só assim veremos a mudança.” Hana – estudante de Lençóis.

 – Programa Operacional de Processamento de Resíduos Sólidos, executado através do funcionamento de um PEV (Posto de Entrega Voluntária), um pequeno galpão na sede do GAL, onde materiais recicláveis são entregues por pessoas da comunidade e estabelecimentos comerciais. Estes materiais são encaminhados a um processo de triagem, pré-beneficiamento e acondicionamento, para serem destinados à indústria de reciclagem, além do fomento a demandas locais de reaproveitamento artístico e produtos de economia popular (artesanato, artes plásticas, licores caseiros, produtos de limpeza, etc).

 

A equipe de trabalho do projeto é formada por moradores da comunidade de Lençóis – quatro educadores sócio ambientais em gestão de resíduos sólidos, quatro agentes ambientais de mobilização e dois agentes operacionais de reciclagem. Todos capacitados e treinados, de forma gradativa e continuada, possibilitando aos participantes conhecer com profundidade o tema Gestão de Resíduos Sólidos. Ao longo das formações foram realizadas palestras, exibição de vídeos, rodas de debates, leitura, pesquisas, elaboração de textos e avaliações, atividades práticas de planejamento, treinamento e avaliação de trabalhos em mobilização, desenvolvendo técnicas em argumentação, abordagem, sensibilização e postura.

Comunicação da Campanha

Para a visualização e identificação do Projeto e da Campanha, foram pesquisados, elaborados e produzidos junto à Flora Comunicação (empresa parceira do GAL) elementos de comunicação áudio-visual (vídeos e músicas), materiais informativos em peças gráficas (banner, cartazes, faixas e folder cartilha), contendo importantes informações sobre o desenvolvimento do projeto, cuidados com os resíduos, destinação de materiais recicláveis ao PEV, dicas de como organizar um espaço para compostagem doméstica e como contribuir de forma ativa com as ações previstas no projeto.

                      Sensibilização da comunidade

Foram realizados 18 encontros de sensibilização junto à comunidade, quando os participantes vivenciaram palestras interativas, conheceram o histórico da atuação do GAL na gestão de resíduos sólidos, o projeto e suas atividades, as estratégias da campanha e o vídeo Bioconsciência, que explica o processo de reciclagem no Brasil. Também foram apresentadas orientações de como praticar a destinação seletiva dos resíduos sólidos.  Participaram e firmaram o compromisso de adotar a prática proposta:

– cento e vinte e cinco participantes de vinte e cinco estabelecimentos – hotéis, pousadas, restaurantes e lanchonetes da comunidade de Lençóis – (noventa e seis estabelecimentos do comércio e serviços foram convidados);

– dezessete agentes comunitários de saúde e agentes epidemiológicos;

– um agente/agenciador de turismo (vinte empresas do setor foram convidadas);

– doze guias da ACVL (Associação de Condutores de Visitantes de Lençóis);

– setenta e quatro educadores de escolas da sede e zona rural de Lençóis (Na Semana Pedagógica da Rede Municipal de Ensino foi realizado um encontro com os professores com o foco no envolvimento dos estudantes com o projeto através das ações como o concurso de redação e o evento de lançamento da campanha “O Lixo nosso de cada dia”. Foi ressaltada a importância dos professores abordarem nas salas de aula, de forma interdisciplinar, o tema resíduos sólidos);

– trinta agentes de limpeza da Prefeitura Municipal de Lençóis (conversaram sobre gestão de resíduos sólidos abordando questões da realidade local, com as quais lidam diariamente, as possibilidades de destinação a processos de reaproveitamento e reciclagem e a meta de se implantar na cidade um sistema de coleta seletiva de resíduos sólidos).

 

“Acho o projeto muito importante porque incentiva as crianças e jovens a se conscientizarem sobre os cuidados com o lixo” Ivanildo – Hotel de Lençóis.

As atividades de sensibilização na feira livre de Lençóis e no centro comercial – rua das pedras, tiveram grande sucesso. Através de abordagens de sensibilização corpo a corpo e por meio de um carro de som a comunidade em geral foi convidada a aderir à campanha. Informações sobre os cuidados com o lixo eram apresentadas ao som de músicas com temas sócio-ambientais. Nestes momentos foi dado enfoque especial à questão do consumo e geração excessivo de resíduos, em especial as sacolas plásticas. Incentivos e apelos pela redução do consumo de sacolas descartáveis foram realizados e alternativas, como o uso de sacolas duráveis para as compras, a exemplo de boca pios, mocós e capangas, foram apresentadas. Foram realizadas oficinas artísticas abertas ao público, quando cada participante ganhou uma sacola de pano durável e pôde pintá-la com materiais de pintura disponibilizados pelo projeto personalizando sua sacola. Todos saíram das oficinas com uma nova alternativa para não consumir sacolas descartáveis ao fazer suas compras.

 

“Foi uma surpresa chegar na feira popular de Lençóis e ouvir os moradores negando as sacolas plásticas, que é uma grande contribuinte para a poluição… estou realmente encantada.” Fabita – estudante.

Na feira livre cartazes da campanha pela redução do consumo de sacolas plásticas descartáveis foram colocados em cada barraca para chamar a atenção da comunidade sobre a questão. Os feirantes foram sensibilizados a apoiar a ação e orientados a perguntar aos consumidores se realmente necessitavam de sacolas plásticas, incentivando assim na redução do consumo. Alguns feirantes inclusive ampliaram sua participação oferecendo brindes às pessoas que não utilizam sacolas.

“É belíssimo o que estão fazendo, eu quero ajudar, quero cooperar pra ver se diminui as sacolas, porque é o nosso futuro, o futuro de meus filhos”. Marta – feirante.

Além dos encontros com os diversos setores citados acima foram realizados eventos como o Lançamento da Campanha O Lixo Nosso de Cada Dia, o Concurso de Redação e A Semana do Mundo Ambiente, quando moradores de todos os bairros da cidade estiveram presentes recebendo mensagens educativas sobre o tema do projeto e participando de atividades interativas que estimularam a transformação dos hábitos diários com relação ao lixo. Leia sobre estes eventos em matérias exclusivas neste blog.

 “Através da formação e capacitação realizada pelo projeto, sabemos como ajudar o meio ambiente em relação à destinação do lixo reciclável” Gilmar – Hotel Portal Lençóis.

Reestruturação do Galpão da Reciclagem/Posto de Entrega Voluntária

O projeto não dispõe de recursos para a reestruturação física do galpão de acondicionamento de materiais recicláveis. Até o momento, dezembro de 2009, o que existe é apenas um compromisso público firmado pala gestão passada da Prefeitura Municipal de Lençóis, através de um termo de cooperação técnica para a realização desta contrapartida. Infelizmente este compromisso não saiu do papel, a atual gestão municipal alega que o município não tem área disponível para tal. Um ano e meio depois da assinatura do convênio o projeto continua sem estrutura para amplo armazenamento dos resíduos sólidos que poderiam ser destinados em grande escala pela população ao PEV.

A solução desta questão se apresenta como fundamental para o desenvolvimento do projeto, pois o volume de entrega de materiais recicláveis, resultado do envolvimento da comunidade mobilizada pelas atividades do projeto, vem tendo aumento crescente a cada mês. Foram realizados mutirões e arrecadados fundos a fim de se ampliar o galpão já existente na sede do GAL, que mesmo de forma improvisada, vem suprindo as necessidades até o momento, mas não por muito tempo.  Existe uma proposta de que o tão aguardado Aterro Sanitário de Lençóis contemple uma central de triagem, porém até o momento essa obra que foi prometida publicamente pelo governador Wagner, para ter em inicio em janeiro de 2009, não tem nem se quer o projeto técnico.

Vale lembrar que o município gera cerca de seis toneladas de lixo por dia, que são destinados ao lixão da Capitinga, gerando riscos sócio ambientais graves, o que torna urgente a implementação de uma gestão sustentável dos resíduos sólidos no município de Lençóis, como a que vem sendo proposta e executada pelo GAL.

Processamento da Fração Orgânica

As oficinas de Educação Ambiental do projeto Integração Ecológica – GAL tiveram como uma das atividades de 2009 a produção de uma pilha de compostagem, onde restos de poda de plantas e sobras de alimentos da merenda estão sendo cultivados a fim de se ter adubo orgânico para o plantio de mudas de espécies arbóreas e ervas medicinais do Projeto Alecrim.

Está prevista para a segunda etapa do projeto Gestão de Resíduos Sólidos a realização de oficinas de compostagem doméstica em escolas e associações comunitárias.

 

“Tudo o que for feito para a melhoria da vida do nosso planeta é valido, muito obrigado por conscientizar as pessoas.” Thalita – cozinheira.

Propostas de Parceria para a Implantação de Coleta Seletiva

Desde o início do projeto, em diversas reuniões, o GAL apresentou ações do projeto à Prefeitura Municipal como propostas de parceria para ampliar as ações já realizadas pelo sistema de limpeza pública local. Até o momento a prefeitura não concretizou parceria com o GAL para realizar as ações propostas alegando falta de recursos financeiros para tal.

Após as ações de sensibilização da comunidade, foi intensa a manifestação de interesse da comunidade na proposta de destinação seletiva de resíduos sólidos para processos de reaproveitamento, reciclagem e compostagem. Pela falta de iniciativa dos gestores públicos em implantar uma gestão integrada e sustentável, e a vontade do GAL de que a realidade seja modificada, foi apresentada à Prefeitura Municipal de Lençóis, em encontro com o senhor prefeito, uma proposta de implantação de um sistema de coleta seletiva somente no centro da cidade de Lençóis. Esta proposta prevê ações de coleta três vezes na semana, ações de mobilização e educação ambiental, aquisição de materiais operacionais, etc…, ações orçadas em dois mil e trezentos reais mensais. Esta proposta não foi aceita e o motivo alegado pela prefeitura continua sendo a falta de disponibilidade de recursos.

“A Prefeitura poderia envolver o pessoal da coleta para ajudar no projeto” Diego – Hotel de Lençóis.

Articulação Regional de Políticas Públicas

Na ocasião do Seminário de Avaliação Regional da Gestão de Resíduos Sólidos – Circuito do Diamante – Chapada Diamantina, realizado no dia 09 de junho de 2009, pela SUINVEST (Superintendência de Investimentos em Pólos Turísticos), CONDER (Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia) e UFC Engenharia, a fim de se discutir a Gestão dos Sistemas de Resíduos Sólidos, o GAL realizou uma apresentação das atividades que vêm sendo realizadas pelo Projeto Gestão de Resíduos Sólidos – Campanha “O Lixo nosso de cada dia”. Nesta mesma ocasião, foi apresentada pelo GAL a proposta do projeto Recicla Chapada – Gestão Regional Integrada de Resíduos Sólidos para a Chapada Diamantina, que foi elogiada pelos participantes e constou no relatório do evento.

Esta proposta também foi apresentada na Oficina Regional de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – Chapada Diamantina, evento promovido pela SEDUR (Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Governo do Estado da Bahia), realizado em Seabra no dia 19 de agosto de 2009. Endossado por representantes de outros sete municípios, o projeto foi ratificado como proposta de política pública do território da Chapada Diamantina a fim de ser implementado pelo Governo do Estado.

Os Resultados são tantos …

Sem dúvida a comunidade, que participou ativamente, fez da campanha “O lixo nosso de cada dia” uma celebração brilhante. Com este brilho despertou-se uma nova consciência para as questões do lixo em nosso dia-a-dia, a responsabilidade de cada um com os cuidados com o ambiente ao nosso redor e com o planeta Terra. A participação e mobilização de todos juntos se reconhecendo como uma sociedade unida a fim de transformar sonhos para o bem comum em realidade estimula que cada vez mais ações deste tipo sejam realizadas e ampliadas. Sonhadores de todas as idades, classes sociais e grupos culturais provaram que acreditam nessa mudança e se comprometeram em se empenhar para transformar essa realidade, estando em comunhão com a natureza.

 

             Para o GAL, esses momentos de celebração são sementes plantadas que começaram a germinar e devemos fortalecê-las cultivando-as para garantir os bons frutos do amanhã. Somente juntos conseguimos manter este cultivo! Participe também você do Projeto Gestão em Resíduos Sólidos. Começamos com pequenas ações…

“Parabéns ao GAL que esta fazendo da feira um espaço de arte, um espaço de expressão, vamos aderir à campanha, nós podemos sim gerar menos lixo, isso é possível e isso já esta acontecendo… o importante é que possamos construir a Lençóis que queremos e é assim que nós construímos com as nossas pequenas ações” Ramiro – músico, poeta e guia.

Poesia produzida para o Projeto!

 Lá na Escola

Não há nenhuma novidade nessa cidade

A não ser a necessidade de sacar

Pois na minha nova idade a novidade é de assustar

Há tanto plástico na cidade que me deixa estático

Pra onde vai a plasticidade de minha rua

Avisa lá na escola

Pra ninguém levar sacola

Da feira, do supermercado

Espero que você tenha sacado

Que nem tudo precisa ser ensacado

Se não essa cidade fica um saco

E antes de encher o saco desse meu papo que nem é furado

Recicle a coca-cola

Avisa lá na escola que nem tudo deve ser um saco

Que nem tudo precisa ser levado na sacola

(Everaldo Soares)

Comentários desligados

Oficinas Integração Ecológica cuidando do nosso quintal!

As oficinas Integração Ecológica de 2009 tiveram como tema gerador “A Permacultura em Nosso Quintal”. Quarenta e cinco crianças da Vila São José e bairros próximos participaram, uma vez por semana, de atividades integradas de permacultura, brincadeiras, artes com materiais recicláveis, cuidados com o corpo, canto, pintura e desenho.

As oficinas foram realizadas com vivências práticas, quando as crianças e os adolescentes imaginaram e participaram ativamente na transformação do espaço da sede do GAL. Foram utilizados como recursos pedagógicos vídeos, livros, músicas, instrumentos musicais, contação de histórias e brincadeiras, atividades práticas com a terra, buscando sempre a presença do lúdico.

A permacultura permitiu aos educadores explorar a diversidade de oportunidades de aprendizagem para as crianças e adolescentes do projeto, uma vez que trabalha com um amplo campo de conhecimento, ensinando a juntar os conhecimentos tradicionais de diversos povos do mundo, incluindo os saberes e conhecimentos tradicionais dos mestres griôs da nossa comunidade e somar aos conhecimentos científicos e outros saberes para a criação de espaços sustentáveis. Através do encontro com estes saberes, educadores, crianças e adolescentes assumiram uma variedade de papéis no envolvimento com as atividades.          

Durante as vivências de permacultura foram trabalhados temas como a observação das épocas do ano, das fases da lua, dos ventos, das chuvas, do caminho das águas, do movimento do sol e do espaço da sede do GAL ressaltando todas as vantagens e desvantagens da estrutura já existente. A partir desta observação foi feita junto às crianças a análise destes fatores e das relações que se dão entre eles, imaginando o “quintal que queremos para nós”, como um ambiente agradável, produtivo e harmônico e as possibilidades existentes para transformação do mesmo. E assim começou a magia da transformação – todos juntos escolheram um lugar bem ensolarado para fazer a horta, um lugar com um pouco de sombra para fazer o composto, uma caixinha bem aconchegante para criar as minhocas no minhocário, e realizaram todas as observações necessárias para planejar e construir uma horta-mandala com hortaliças, um canteiro de ervas com plantas medicinais, uma composteira, uma sementeira e um viveiro de mudas. E espaço foi sendo transformado por todos em divertidos mutirões!

“Aprendi a cuidar das plantas, a desenhar e sobre as minhocas” Uilian, 11 anos.

Também assistiram uma animação sobre as minhocas e descobriram como é a vida debaixo da terra; aprenderam sobre o processo de decomposição de materiais orgânicos e construíram uma composteira; conversaram sobre plantas medicinais e suas utilizações e plantaram ervas como poejo, hortelã e manjericão; plantaram flores como zínia, cravo e margarida e fizeram flores de garrafa pet para o espaço ficar mais colorido; plantaram muitas hortaliças como salsinha, coentro e mostarda; escutaram histórias como “A pombinha branca” e “Lico, o menino que queria conversar com os animais”; fizeram massagens uns nos outros enquanto escutavam músicas de relaxamento; produziram cata-ventos de papel para brincar com o vento; cantaram mantras para os quatro elementos do Planeta Terra; jogaram futebol e brincaram com bola; e no final do ano fizeram “um dia de repórter” contando para o registro áudio-visual tudo o que realizaram em 2009.  

Ao final de todos os dias de atividade foi servida merenda com ingredientes da culinária local e com produtos da horta, proporcionando às crianças uma alimentação nutritiva e balanceada e a tomada de consciência da importância dos alimentos para nosso corpo, mente e alma. Nestes momentos também foram trabalhadas questões básicas de educação e higiene, como limpeza das mãos e limpeza dos pratos e talheres utilizados na merenda.

 “Aqui no GAL agente planta mudas, e fazemos muitos desenhos” Ruan, 8 anos.

 “Lembro sempre de molhar as plantas que plantamos…” Rafael, 6 anos.

 “Os trabalhos artísticos e relatos produzidos pelos alunos nos dão a certeza que os importantes valores de integração social e conservação ambiental estão sendo visivelmente assimilados. Tudo isso vem acontecendo num ambiente de muita descontração.” Alexandre Emanuel, educador ambiental.

Comentários desligados